O anexo 3 da NR16 considera perigosa a atividade dos profissionais de segurança patrimonial. Sendo assim, a função de vigilante pode ser considerada perigosa.

Todavia a caracterização de periculosidade deve ser feita por meio de perícia. E a Lei nº 11.901/09 dispõe sobre a profissão de bombeiro civil, incluindo o pagamento do adicional de periculosidade. No entanto, o art. 2º, considera-se bombeiro civil aquele que, habilitado nos termos desta lei, exerça, em caráter habitual, função remunerada e exclusiva de prevenção e combate a incêndio como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista ou empresas especializadas em prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio. Portanto, o vigilante brigadista não exerce habitualmente a função remunerada exclusiva de prevenção e combate a incêndio.